Skip to content

Mostra Música do Underground, INDIE 2010

17 de novembro de 2010

A maré tá boa pra quem curte música e cinema! Depois do Festival Recine 2010 que trouxe para as telas os Movimentos da Música Brasilera no prédio do Arquivo Nacional. Agora é a vez do Rock, Indie e Vanguarda!! São dois Festivais rolando, praticamente simultaneamente, na cidade (onde estão os clones nessas horas!!). Um deles é a 4ª Mostra de Cinema Rock e Totem e outro, objeto desse post, é a Mostra Música do Underground que acontece dentro do INDIE.10.

A Mostra Música do Underground, dentro e à frente do seu tempo, mostra um panorama do presente que aponta pro futuro. O que você vai ver? O movimento punk na China; Dilemas dos Direitos Autorais; Jovens Músicos na Estrada; O Futuro das Lojas Independentes de Discos; O Pós-Rock dos 90; Um Casal e sua banda: religião, violência, consciência e loucura; O Dancehall jamaicano; Vanguarda Musical de Tóquio; Concertos na Terra Natal: Islândia; Artistas e seus experimentos. Dá pra ter uma idéia do clima e da qualidade da seleção que consegue dar um panorama bastante amplo e interessante da cena Underground da Música.

  • Quando? 16 a 21 de Novembro

  • Quanto? CINEPASSE: R$ 10 (inteira), R$ 5 (meia)

  • PARA TODA MOSTRA e ainda vale por 30 dias por meio de senhas que devem ser retiradas 30 minutos antes de cada sessão.

  • Onde? CCBB

  • Site

Programação

16 NOV | TER

  • 17:30        Beijing punk
  • 19:30        THE FAMILY JAMS

17 NOV | QUA

  • 17:30        CÓPIA ORIGINAL CÓPIA PIRATA
  • 19:30        I need that record! The death (or possible survival) of the independent record store

18 NOV | QUI

  • 16:00        NÓS NÃO LIGAMOS MESMO PARA MÚSICA
  • 17:30        MAN OOMAN
  • 19:30        Introspectivo

19 NOV | SEX

  • 16:00        Low, you may need a murderer
  • 20:00       Sigur Rós – Em casa

20 NOV | SAB

  • 15:30        Uma banda de um homem só
  • 17:30        NÓS NÃO LIGAMOS MESMO PARA MÚSICA
  • 19:30        CÓPIA ORIGINAL CÓPIA PIRATA

21 NOV | DOM

  • 15:30        I need that record! The death (or possible survival) of the independent record store
  • 17:30        MAN OOMAN
  • 19:30        Beijing punk

Detalhes dos Filmes

Beijing punk

Shaun Jefford | Austrália/EUA | 2010 | Digital, 71 min.

16 NOV – 17:30 – CCBB Sala 2  |  21 NOV – 19:30 – CCBB Sala 2

Sinopse

O que acontece quando 1,3 bilhão de chineses descobrem o fenômeno punk? Um documentário que explora o submundo dos rebeldes e expõe as fissuras da China conformista. Durante as Olimpíadas de 2008, uma pequena equipe de filmagem seguiu um grupo de punks e (um novo conceito de) skinheads através desse mundo subterrâneo da música punk e da contracultura. Em meio à apatia do público e à vigilância cerrada do Estado, o punk é algo que não deveria existir na China. A cena musical alternativa punk em Beijing gira em torno de um clube: o D-22. As bandas apresentadas no filme incluem Demerit e o vocalista “Spike”; o skinhead chinês Leijun e sua banda Misandao; P.K.-14, a banda punk de rapazes pensantes e, finalmente, Hedgehog, e sua minúscula baterista Atom.

Roteiro Shaun Jefford
Fotografia Alexandre Kyriakidis
som N/D
Edição Shaun Jefford, Alex Meillier
Música Demerit, Misandao, P.K.-14
Elenco Liu Bao, Xu Bo, Nevin Domer, Shi Xu Dong, Brian Hardgroove

Sobre o diretor

Nascido em Sydney, na Austrália, em novembro de 1972, Shaun Jefford apaixonou-se por direção cinematográfica após fazer alguns filmes em Super-8 ainda na escola. Trabalhou por cinco anos como consultor administrativo no ambiente corporativo australiano. Mudou-se para Los Angeles, na Califórnia, e começou a aprender a filmar de modo independente e com baixo orçamento. Trabalhou, literalmente, em milhares de curtas-metragens estudantis entre os anos de 1999 e 2004, quando era orientador em uma escola de cinema de Los Angeles. Filmografia: 2004 | Edge of the World. 2005 | True Identity

CÓPIA ORIGINAL CÓPIA PIRATA

Good copy bad copy

Andreas Johnsen, Ralf Christensen, Henrik Moltke | Dinamarca | 2007 | Digital, 58 min.

17 NOV – 17:30 – CCBB Sala 2  |  20 NOV – 19:30 – CCBB Sala 2

Sinopse

Os dilemas globais envolvendo as leis de direitos autorais. Quem realmente tem direito a quê? E qual a finalidade da proteção ao direito autoral? O documentário viaja junto com o super-hit Crazy, de Gnarls Barkley, para o norte do Brasil, onde adquire um toque local, e segue para remixagem com o virtuoso músico americano Girl Talk em sua cidade natal, Pittsburgh. Na Suécia, “paus-mandados” de Hollywood se chocam com os usuários do Pirate Bay. Enquanto isso, na capital africana do cinema – a chamada Nollywood, na Nigéria, ninguém se preocupa com direitos autorais ou pirataria. Até o momento.

Roteiro N/D
Fotografia Andreas Johnsen, Henrik Moltke, Ralf Christensen
som N/D
Edição Adam Nielsen
Música Rjd2, Track 72, Phoenicia, John Tejada, Req, Shex, Santogold, Rex Jim Lawson, Dr Victor Olaiya, Pharfar, Girl Talk, Danger Mouse, Mikkel Meyer, Gnarls Barkley, De La Soul, Nwa
Elenco Lawrence Lessig, Ronaldo Lemos, Charles Igwe, Beto Metralha, DJ Dinho, Olivier Chastan, entre outros.

Sobre o diretor

Andreas Johnsen nasceu em Copenhagen, na Dinamarca, em 1974. Ele dirige e produz documentários, vive em Copenhagen e trabalha no mundo inteiro. Atualmente, se concentra em seu próximo projeto, um documentário sobre a música contemporânea da África Oriental.

I need that record! The death (or possible survival) of the independent record store

Brendan Toller | EUA | 2008 | Digital, 77 min.

17 NOV – 19:30 – CCBB Sala 2  |  21 NOV – 15:30 – CCBB Sala 2

Sinopse

Um documentário que examina porque mais de 3 mil lojas independentes de discos fecharam nos EUA, na última década. Gravadoras gananciosas, consolidação da mídia, rádio homogeneizado, grandes lojas, comércio eletrônico, ‘astros’ ruins impulsionados pelo grande capital, e a revolução digital, todos representam ameaças ao bem estar das nossas lojas de discos preferidas. Essas lojas vão morrer? Sobreviverão? Com Thurston Moore do Sonic Youth, Ian Mackaye, do Dischord Records Fugazi/Minor Threat, o ativista e autor Noam Chomsky, Mike Watt do Minutemen, Lenny Kaye, guitarrista do Patti Smith Group, Chris Frantz, do Talking Heads/Tom Tom Club, guitarrista Glenn Branca, Patterson Hood do Drive-By Truckers, Pat Carney do Black Keys, autor punk Legs McNeil, fotógrafo de rock Bob Gruen, BP Helium guitarrista do Of Montreal, e várias lojas de discos indie nos EUA!

Roteiro N/D
Fotografia Brendan Toller
som N/D
Edição Brendan Toller
Música N/D
Elenco Glenn Branca, Pat Corney, Noam Chomsky, Chris Frantz, Bob Gruen

Sobre o diretor

Brendan Toller é de Portland, nos EUA, onde a música rock e o cinema o salvaram do tédio suburbano extremo. Em 2004, Brendan cursou a Hampshire College, Amherst, Massachusetts, onde estudou cinema não ficcional, teoria política e jornalismo. Brendan atualmente vive em Easthampton. Trabalha com acesso público e como videógrafo e arquivista na gravadora Thurston Moore’s Ecstatic Peace.

THE FAMILY JAMS

Kevin Barker | EUA | 2009 | Digital, 81 min.

16 NOV – 19:30 – CCBB Sala 2

Sinopse

Três integrantes da cena musical de San Francisco – Devendra Banhart, Joanna Newsom e Vetiver – excursionam pelos Estados Unidos apresentando sua música revolucionária no verão de 2004. O guitarrista da banda Vetiver, Kevin Barker, filmou todo o processo – as “canjas”, o tempo passado na estrada e o tempo livre entre as apresentações. Eles ajudam uns aos outros a superar tragédias familiares e acidentes de carro, e encontram personagens exuberantes, enquanto viajam pelo território americano. O filme é um retrato intimista do que é a vida na estrada para esses jovens músicos em início de carreira. Eles não apenas cantam – eles criam – o mundo em que querem viver.

Roteiro N/D
Fotografia Kevin Barker, Michael Shick
som Kevin Barker
Edição Kevin Barker
Música Devendra Banhart , Andy Cabic, Joanna Newsom
Elenco Alissa Anderson, Meg Baird, Devendra Banhart, Kevin Barker, Andy Cabic, Zach Cowie, Jim Gaylord, Antony Hegarty, Joanna Newsom, Stacy Nuner

Sobre o diretor

Kevin Barker concilia as carreiras de músico e diretor de cinema. Em janeiro de 2010, lançou You & Me, seu álbum solo de estreia, com participação de um grupo inacreditável de artistas. Ele já gravou, excursionou e trabalhou em conjunto com Devendra Banhart, Joanna Newsom, Vashti Bunyan, Vetiver, Antony and the Johnsons e Espers, para nomear apenas alguns.

 

MAN OOMAN

Andreas Johnsen & Rasmus Poulsen | Dinamarca | 2008 | Digital, 57 min.

18 NOV – 17:30 – CCBB Sala 2  |  21 NOV – 17:30 – CCBB Sala 2

Sinopse

Man Ooman investiga o fenômeno cultural jamaicano chamado dancehall. O documentário traz registros das mais conhecidas festas de rua e entrevistas com famosos dançarinos. As festas acontecem todas as noites em diferentes guetos onde comunidades rivais se encontram, sem armas, para se divertir. A música é alta, a dança é selvagem, com alusões sexuais explícitas. Na Jamaica, abraços efusivos são contra a lei, andar de mãos dadas e beijar são atos reservados à intimidade do lar, meninas e meninos são tratados como seres de espécies diferentes e a homossexualidade e o sexo oral são completamente proibidos tanto pela lei quanto pelo próprio ambiente social. O dancehall aparece como um elemento para arejar e descarregar a tensão sexual explosiva entre homens e mulheres ou, como se diz na Jamaica, entre “man and ooman”.

Roteiro N/D
Fotografia Andreas Johnsen
som N/D
Edição Adam Nielsen
Música N/D
Elenco N/D

Sobre o diretor

Andreas Johnsen nasceu em Copenhagen, na Dinamarca, em 1974. Ele dirige e produz documentários, vive em Copenhagen e trabalha no mundo inteiro. Atualmente, se concentra em seu próximo projeto, um documentário sobre a música contemporânea da África Oriental.

NÓS NÃO LIGAMOS MESMO PARA MÚSICA

We don’t care about music anyway

Cédric Dupire & Gaspard Kuentz | França/Japão | 2009 | Digital, 80 min.

18 NOV – 16:00 – CCBB Sala 2  |  20 NOV – 17:30 – CCBB Sala 2

Sinopse

Da manipulação radical de sons com o uso de vitrola e DJ mixer, no processo conhecido como “turntablism” (Otomo Yoshihide), à inovação em laptop music (Numb), passando pela apropriação de instrumentos clássicos (Sakamoto Hiromichi), o cenário musical de vanguarda de Tóquio é internacionalmente conhecido por sua ousadia. Ao mesmo tempo em que apresenta alguns dos melhores músicos desse cenário, o filme proporciona uma visão caleidoscópica de Tóquio, confrontando música e ruído, som e imagem, realidade e representação, documentário e ficção. “Nós não ligamos mesmo para música”… É um modo de dizer: “nós fazemos música e pronto, isso é tudo…” Para além da música e de sua performance, o futuro e o modo de existência de uma cidade, e da sociedade como um todo, estão em ação.

Roteiro N/D
Fotografia Cédric Dupire
som Jacob Stambach
Edição Charlotte Tourrès
Música Kirihito, L?K?O, Otomo Yoshihide, Numb & Saidrum, Sakamoto Hiromichi, Umi no Yeah!!!, Yamakawa Fuyuki, Goth-Trad, Hiko
Elenco N/D

Sobre o diretor

Cédric Dupire nasceu em 1979. Filmografia: 2005 | Musafir (84min, DV). 2008 | The right man in the right place (65 min, 2008). Gaspard Kuentz nasceu em 1981. Em 2003, mudou-se para Tóquio para estudar na escola de cinema Eiga Bigakko. Filmografia: 2003 | Jinsei ha nagaku, heya ga semair (8 min, DV). 2006| Chinpira Is Beautiful (6min30,DV).

Uma banda de um homem só

One man in the band

Adam Clitheroe | Inglaterra | 2008 | Digital, 83 min.

20 NOV – 15:30 – CCBB Sala 2

Sinopse

A história pessoal de artistas que andam por aí com suas produções vibrantes e bem experimentais. Detalhe: eles estão sozinhos. Eles são mais do que performers solitários: a banda de um homem só traz ao palco barulho e espetáculo vibrante de uma banda inteira. O documentário acompanha este fenômeno em alguns lugares na Europa e nos EUA. O diretor, também um solitário, não zomba dos excessos musicais e acompanha intimamente seus personagens. Fica uma pergunta no ar: o que leva as pessoas a criarem uma banda de um homem só?

Roteiro N/D
Fotografia Adam Clitheroe
som N/D
Edição Adam Clitheroe
Música N/D
Elenco Dennis Hopper Choppers; Duracell; Honkeyfinger; Man from Uranus; Ninki V.; Thomas Truax; The Two Tears

Sobre o diretor

Adam Clitheroe vive em Londres, Inglaterra. Trabalhou com produções independentes em 16 mm antes de se tornar um câmera e diretor de programas infantis para televisão. Seus curtas anteriores são: The Demon in my Pussy (1996), Lust & Amnesia (2001), Strawberry Fair (1994), The Modern Woodsman (2005) e Harder Faster Stronger Stripier (2006). Este é seu primeiro longa e teve sua estréia mundial no Festival Internacional de Documentários em Amsterdã.

Sigur Rós – Em casa

Sigur Rós – Heima

Dean DeBlois | Islândia | 2007 | Digital, 97 min.

19 NOV – 20:00 – CCBB Sala 2

Sinopse

Em 2006, no horário mágico do verão da Islândia, Sigur Rós fez vários concertos na sua terra natal. “Heima” – que significa tanto “em casa” quanto “terra natal” – é uma tentativa de fazer um filme tão grande, bonito e livre de amarras quanto um álbum do Sigur Rós. O filme mostra material de todos os quatro álbuns da banda, incluindo momentos raros e notáveis. Estão incluídas uma apresentação tocante da canção ‘Gitardjamm’, filmada no interior de um tanque de óleo de arenques nos distantes fiordes do oeste; uma gravação com um microfone, ao som do vento, da canção ‘Vaka’, filmada durante um protesto contra uma barragem numa área posteriormente inundada; e as primeiras versões acústicas e ao vivo das lindas canções ‘Staralfur’, ‘Agaetis Byrjun’ e ‘Von’.

Roteiro Dean DeBlois
Fotografia Magni Ágùstsson, Alan Calzatti
som N/D
Edição Nick Fenton
Música Sigur Rós
Elenco Jón Þór Birgisson, Georg Hólm, Kjartan Sveinsson, Orri Páll Dýrason, Hildur Ársælsdóttir, María Huld Markan Sigfúsdóttir, Edda Rún Ólafsdóttir, Sólrún Sumarliðadóttir

Sobre o diretor

O canadense Dean DeBlois é diretor, roteirista e animador. É reconhecido como coescritor e codiretor do desenho animado da Disney, “Lilo & Stitch”, e “Como treinar o seu dragão”. Outros trabalhos são “Mulan” e “The Banshee and Fin Magee” (a ser lançado), além da série canadense de animações da década de 1980, “The Raccoons”.

Introspectivo

Introspective

Aram Garriga | Espanha | 2007 | Digital, 68 min.

18 NOV – 19:30 – CCBB Sala 2

Sinopse

Na segunda metade da década de 1990, a revista The Wire forjou um conceito controverso: o pós-rock. O termo definia a música de algumas bandas cujos estilos não se enquadravam nos gêneros predeterminados pela indústria e pelo mercado. “Introspective” explora a fundação de algumas delas, as suas palavras e shows, propondo um retrato da música indie ou underground como uma alegoria afetiva das nossas sociedades globais. Conta com a participação de bandas como Sonic Youth, Mogwai, Yo La Tengo, e nomes como Jeff Twedy, Jason Pierce e Lee Ranaldo.

Roteiro Aram Garriga
Fotografia Rafa de los Arcos, Tony Garcia, Andreas Bujardon, Dani Garcia, Xavi Satorra, Alex Lora, Javier G. Lerin, Aram Garriga
som Zlaya Hadzich
Edição Aram Garriga
Música N/D
Elenco Akiko Izumi, Chris Cutler, Eiko Nagashima, Jun Kunimura, Kazuma Suzuki, Kosuke Toyohara, Kyoko Tohyama, Mickey Curtis, Reiko Kataoka, Ryo Ishibashi, Susumu Terajima, Takao Osawa

Sobre o diretor

Em 2005, Aram Garriga (1979, Barcelona) fundou a produtora The Visual Suspects. Tem realizado vídeos institucionais alternativos para grandes empresas e para o Governo Catalão, bem como uma série de vídeos musicais. “Introspective” é o seu primeiro longa-metragem.

Low, you may need a murderer

David Kleijwegt | Holanda | 2007 | Digital, 70 min.

19 NOV – 16:00 – CCBB Sala 2

Sinopse

Para criar um quadro cândido da banda quiet-core seminal Low, uma equipe de filmagem acompanhou o casal Alan Sparhawk e Mimi Parker, integrantes do grupo, durante a turnê, em casa, na cidade de Duluth, Minnesota, na sua comunidade da igreja Mormon e com seus pais. Mais que imagens na estrada ou nos bastidores, o vídeo mostra um ambivalente Sparhawk como o principal personagem, num filme intrigante sobre religião, violência, consciência e loucura. Também é uma tocante história de amor. Um ‘rockumentário’ claro e não editado que se coloca acima das convenções do gênero.

Roteiro David Kleijwegt
Fotografia Jacques Laureys
som Ranko Paukovic, Wouter Veldhuis, Gabor Verhoeven
Edição Denise Janzee
Música N/D
Elenco Mimi Parker, Alan Sparhawk

Sobre o diretor

David Kleijwegt (1965, Roterdã) trabalhou de 1985 a 2000 como jornalista musical no jornal diário Algemeen Dagblad. Ele escrevia sobre bandas alternativas e fazia entrevistas com pop stars como Bono, Paul McCartney, Mick Jagger e George Harrison. Desde 1991, é editor-chefe e diretor do canal holandês VPRO. Ele já dirigiu shows de bandas como Nick Cave, programas com David Bowie, Johnny Cash, Tricky, Sepultura, My Morning Jacket, Joey Ramone, entre outras.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s